Caminhos para o acordo.

 

Há diversos caminhos para se chegar a um acordo, entre eles a mediação, as práticas colaborativas e os acordos litigados.

A mediação está estruturada na neutralidade do mediador, que pode ou não ser um advogado de formação. A ideia é que o mediador se abstenha de emitir qualquer opinião ou conselho jurídico sobre as questões que lhe são postas para mediar. Por esta razão é aconselhável que os mediandos contratem um advogado fora do processo de mediação para aconselhá-los sobre as questões legais.

Assim como em negociações diretas sem advogados, o mediador pode ter dificuldade em compensar radicais desequilíbrios de poder entre as partes, tornando a mediação, algumas vezes, uma opção menos viável.

Já os acordos litigados – feitos no decorrer no processo judicial - em geral, são feitos depois de muito desgaste emocional, financeiro e sob pressão da parte que parece ter a posição mais forte.

O método colaborativo incorpora os melhores elementos de cada uma das opções. Opção ideal entre o litígio e a mediação, o direito colaborativo elimina o tribunal do modelo de litígio e oferece o apoio e experiência jurídica que falta no modelo de mediação (a não ser quando incluído advogados como assistentes pelas partes).

Adaptado do Livro “O Caminho Colaborativo para o Divórcio” de Stuart G. Webb e Ronald D. Ousky.

Alguma dúvida a respeito dos métodos de resolução de conflitos? Entre em contato conosco, ficaremos felizes em ajudar!

Login

Entrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim